quinta-feira, 17 de abril de 2008

A rivalidade que nos reconcilia...




No entanto,


São jogos como os de ontem que nos reconciliam com a magia do futebol. Que nos faz amar o jogo... e sobretudo, nos faz amar/odiar esta sede de rivalidade que consome e alimenta os que, de pequenos, com chama imensa, escolheram o vermelho, e os que escolheram o verde... dois lados, por sinal, de uma mesma bandeira!...


À Noite, na RTP Memória, passava um Benfica-Sporting de 1986: de um lado Manuel Bento, do outro, Vítor Damas... Ambos, decerto, lá no assento etéreo, onde subiram, vibravam e aplaudiam a magia da rivalidade que nos reconcilia com a vida.


P.S. Foi bonito ver Di Maria a fazer poesia com os pés...

2 comentários:

José Eugénio M. Pereira da Costa disse...

Por razões que, tampouco, sou capaz de explicar, sempre fui e acredito que sempre serei do ...Benfica. Nunca fui daqueles que dizem "ganhamos"... porque, jamais, me vi assim tão "integrado". Sou do Benfica e... ponto final. Mas reconheço-me om benfiquista estranho, já que não aprecio os "adeptos", do mesmo modo que não gosto dos "indefectaveis" de quaisquer outras agremiações. Chego mesmo a desejar que o "meu" Benfica não ganhe...só para castigar os tais "indefectaveis". Esses mesmos que, hoje, apupam e, amanhã, tornam seus herois os hoje apupados...Dessa "gente" não gosto, nem nunca gostarei... Sabem que mais: essa "gente", para mim, tem pouco de gente. E há disso no futebol, na política (que é quase a mesma coisa...) e é, talvez, também, por causa dessa "gente", que este nosso tempo está tornado num tempo demasiado complexo... num tempo em que a racionalidade vai dando lugar à intolerância... num tempo em que os "homens" vivem mais anos, mas em que os anos têm, concerteza, muitos mais meses. Conheço alguma "gente", com 50 anos, cuja idade mental vai pouco além dos 10... e são essas crianças que, despudoradamente, controlam os poderes... já que os outros, os "crescidos", têm vergonha... É a vida...

José Eugénio M. Pereira da Costa disse...

Por razões que, tampouco, sou capaz de explicar, sempre fui e acredito que sempre serei do ...Benfica. Nunca fui daqueles que dizem "ganhamos"... porque, jamais, me vi assim tão "integrado". Sou do Benfica e... ponto final. Mas reconheço-me um benfiquista estranho, já que não aprecio os "adeptos", do mesmo modo que não gosto dos "indefectaveis" de quaisquer outras agremiações. Chego mesmo a desejar que o "meu" Benfica não ganhe...só para castigar os tais "indefectaveis". Esses mesmos que, hoje, apupam e, amanhã, tornam seus herois os hoje apupados...Dessa "gente" não gosto, nem nunca gostarei... Sabem que mais: essa "gente", para mim, tem pouco de gente. E há disso no futebol, na política (que é quase a mesma coisa...) e é, talvez, também, por causa dessa "gente", que este nosso tempo está tornado num tempo demasiado complexo... num tempo em que a racionalidade vai dando lugar à intolerância... num tempo em que os "homens" vivem mais anos, mas em que os anos têm, concerteza, muitos mais meses. Conheço alguma "gente", com 50 anos, cuja idade mental vai pouco além dos 10... e são essas crianças que, despudoradamente, controlam os poderes... já que os outros, os "crescidos", têm vergonha... É a vida...